domingo, agosto 31, 2003



UM DOGMA DESASTROSO

Uma estranha loucura dominou as classes operarias das naçoes onde reina a civilizaçao capitalista. Essa loucura traz como consequencia miserias individuais e sociais que a seculos torturam a triste humanidade. Essa loucura e o AMOR AO TRABALHO, a paixao moribunda que absorve as forças vitais do individuo e de sua prole ate o esgotamento. Em vez de reagir contra essa aberraçao mental, os padres, os economista, os moralistas sacrossantificaram o trabalho. Homens cegos e limitados, quiseram ser mais sabios que o proprio Deus deles; homens fracos e despreziveis, quiseram reabilitar aquilo que ate mesmo o Deus deles amaldiçoara. Deus trabalhou sete dias e descansou por toda a eternidade.

Eu, que nao professo o credo cristao, nem tenho posiçao economica e moral como a deles, recuso-me a admitir as pregaçoes dessa moral religiosa, economica, livre-pensadora, considerando as terriveis consequencias do trabalho na sociedade capitalista.

*ex-tra7iacute;do de "O direito a Preguiça" de Paul Lafargue (1842-1911)

[tonfa]

sábado, agosto 16, 2003

O Conhecimento

O conhecimento é uma apreciação de um observador sobre a conduta do outro, que pode ser ele mesmo. Com isso, descobre-se que o conhecimento é sempre adquirido na convivencia. Descobre-se, que se aprende a ser de uma ou outra maneira na convivencia com outros seres humanos. Se quero que alguém adquira conhecimento em um certo espaço, o que tenho de fazer é convidá-lo a viver em um certo domínio, se ele aceita, terá esse conhecimento.

Nós seres humanos temos um domínio de plasticidade muito maior do que acreditamos, mas entrarmos nas mudanças ou não, depende da emoção. O discurso racional que não seduz emocionalmente, não muda o espaço do outro.

(ex-traído do livro " Cognição, Ciencia e Vida Cotidiana " de H. Maturana. Ed. UFMG/2001)

[tonfa]

sexta-feira, agosto 15, 2003

Fritjof Capra defende transversalidade nas politicas publicas

13/8/2003 10:23:00
Fonte: UMA-Universidade Livre da Mata Atlântica

O físico Fritjof Capra destacou a importância da transversalidade das questões ecológicas nas políticas públicas na abertura dos Diálogos para um Brasil Sustentável, que acontecem até o dia 15 de agosto (amanhã), em Brasília (DF), com a participação de uma rede internacional de ecologistas. “A sustentabilidade só pode acontecer se for implementada simultaneamente em diversas áreas. A transversalidade é uma enorme tarefa. É preciso compreender o principal princípio da ecologia: a vida não surgiu no planeta pela competição, mas através da cooperação, das parcerias e da formação de redes”, alertou Capra.

Leia mais >>>