sábado, junho 26, 2004

METÁFORAS

Os Rabinos sempre se interessaram pelas metáforas e seu enriquecimento. Uma história sobre o Rabino de Saragoça exemplifica isso. O Rabino afirmou:
"Podemos sempre aprender alguma coisa de tudo que existe neste mundo! 'O que podemos aprender de um trem, por exemplo?' Desafiou um discipulo. 'Que por causa de um segundo, podemos perder tudo.' 'E de um telegrafo?' 'Que cada palavra é contada e por elas seremos cobrados.' 'E o telefone?' 'Que o que dizemos aqui é escutado lá'."
Percebemos que todas as midias de comunicação podem ser usadas como metáforas de uma grande rede.
A virtualidade, tal como a teoria da Relatividade, mostra-nos que as fronteiras não são de ordem externa ou mesmo interna. As fronteiras estão na mente e sua capacidade de perceber, ou na midia que delimita a sensibilidade. D'us não está em um lugar, nem em algum tempo, mas possibilidade ou não de enxergar através da mente. E é justamente ao percebermos os limites de nossa mente que ficamos apreensivos diante de conceitos como o da virtualidade.

(ex-traído de "Portais Secretos" Nilton Bonder, 1996)

segunda-feira, junho 14, 2004

Lembra Janus...Passado e Futuro
MEMÓRIA

Poderiamos dizer que não temos poder sobre o futuro sem uma perspectiva igual e correspondente sobre o passado, que o impulso de nossa atividade para diante cria para trás de si um vazio onde as lembranças se precipitam, e que a memória é assim a repercussão, na esfera do conhecimento, da indeterminação de nossa vontade.

Mas a ação da memória estende-se muito mais longe e mais profundamente ainda do que faria supor este exame superficial.

É chegado o momento de reintegrar a memória na percepção, de corrigir por isso o que nossas conclusões podem ter de exagerado, e de determinar assim com mais precisão o ponto de contato entre a consciência e as coisas, entre o corpo e o espírito.

(ex-traído de "Matéria e Memória" Henri Bergson 1999)

sexta-feira, junho 11, 2004

Como nasce um paradigma.

Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula, em cujo centro puseram uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas. Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jato de água fria nos que estavam no chão. Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros enchiam-no de pancadas.

Passado mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas. Então, os cientistas substituíram um dos cinco macacos. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo rapidamente retirado pelos outros, que o surraram.
Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.

Um segundo foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo, da surra ao novato.

Um terceiro foi trocado, e repetiu-se o fato. Um quarto e, finalmente, o último dos veteranos foi substituído. Os cientistas ficaram, então, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse chegar às bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles porque batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: "Não sei, as coisas sempre foram assim por aqui..."

Você não deve perder a oportunidade de passar esta história para seus amigos, para que, vez por outra, questionem-se porque estão batendo... ou apanhando!

É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito.
Albert Einstein

(ex-traído sabe-se lá donde... na verdade, recebido por email sem créditos...)

quarta-feira, junho 09, 2004


ESCOLHA
A Mosca, por mais limpo que seja o corpo, sempre procura a sujeira ou a ferida.
A Abelha, por mais imundo que seja o pântano em que se encontre, sempre procura a flor e dela o néctar.
Lótus, uma flor oriental, nasce do lodo do pântano transmutando-o em néctar.
Como o Lótus, transmutar o desequilíbrio, por pior que sejam as circunstâncias; como a abelha, buscar na vida sómente as flores, e delas o néctar.
Assim a vida lhe oferecerá constantemente o melhor, o supra-sumo e você bem que o merece.
Voce nasceu para isso!!!

(ex-traído de algum lugar que não tenho registro)